BNCC Matemática | Ensino Fundamental | Competência #03 | Matemática e Autoestima

Imagine um professor de Matemática, chegando à sala de aula, onde estão os estudantes e iniciando as atividades da seguinte forma: Olá, pessoal! Na aula de hoje nós vamos aprender a aumentar a nossa segurança, melhorar nossa autoestima e perseverar cada vez mais!

Você consegue imaginar uma cena como essa? Então veja o que a BNCC propõe como terceira competência específica para a Matemática no Ensino Fundamental:

Compreender as relações entre conceitos e procedimentos dos diferentes campos da Matemática (Aritmética, Álgebra, Geometria, Estatística e Probabilidade) e de outras áreas do conhecimento, sentindo segurança quanto à própria capacidade de construir e aplicar conhecimentos matemáticos, desenvolvendo a autoestima e a perseverança na busca de soluções.

Assista ao conteúdo deste post no vídeo a seguir!

Nos posts anteriores nós abordamos a primeira e a segunda competências. E preciso dizer a vocês que a cada competência que leio e procuro absorver o significado, eu fico mais e mais pensativo sobre o grande desafio que representam. Mas é um sentimento bom!

Como disse, o desafio é enorme, mas fico pensando como as aulas de Matemática serão muito mais relevantes com o compromisso de desenvolver essas competências! Certamente, a Matemática deixará de ser um grande e feio bicho papão, e passará a ser vista como uma ferramenta útil e libertadora na vida de todos os estudantes, capazes de exercerem a cidadania.

A competência abordada neste post orienta que os estudantes devem saber relacionar os conceitos e procedimentos das diferentes áreas da Matemática, ou seja, devem ser capazes de relacionar Aritmética, Álgebra, Geometria, Estatística e Probabilidade, uma vez que esses eixos não estão ajeitados e guardados cada um dentro de sua própria gaveta, certo? Mas não só isso, os estudantes devem relacionar esses conceitos e procedimentos da Matemática com procedimentos de outras áreas do conhecimento.

O objetivo é romper com a ideia de que o conhecimento está compartimentado, ou seja, aquele pensamento de que o que se aprende em Geografia, por exemplo, fica só lá na aula de Geografia. Essa visão do conhecimento fatiado também permeia outras áreas do conhecimento e, se fizéssemos uma lista dessas áreas, a Matemática, até então, ocuparia uma das primeiras posições.

Porém, esse pensamento completamente ultrapassado e equivocado é colocado por terra a partir do momento em que os estudantes passam a ter o direito de aprender a relacionar os procedimentos dos diferentes campos do conhecimento.

Precisamos concordar que, para grande parte das pessoas, Matemática é muito chato e ruim, principalmente quando o assunto não é compreendido facilmente, quando a aprendizagem demora mais tempo, ou, por pressão do tempo, isso acaba não acontecendo. Mas, incontestavelmente, uma sensação muito agradável vem quando conseguimos compreender um problema, utilizamos ferramentas criativas para resolvê-lo e, então, chegamos à resposta correta.

E, quando conseguimos vencer um desafio, e depois outro, e depois outro, o que acontece? Ficamos mais seguros da nossa capacidade, passamos a ser capazes de ajudar os outros que ainda enfrentam dificuldades naquela situação e aí a sensação de utilidade eleva, e muito, a nossa autoestima. Como consequência, nos tornamos mais perseverantes perante novos desafios que aparecem para nós e para pessoas que estão próximas, também.

Insisto que o contexto, ou seja, a aplicação da Matemática em outras áreas do conhecimento, é um dos ingredientes essenciais que vão mostrar, de fato, a todos, que não dá pra viver sem essa encantadora ciência.

Pode-se dizer que aprender matemática é aprender o conteúdo, mas também desenvolver competências essenciais para a vida. Todo mundo quer perseverar, se sentir seguro da própria capacidade e ter uma boa autoestima.

Para finalizar, deixo mais um questionamento:

Como você acha que as aulas de Matemática podem contribuir para o desenvolvimento da competência que tratamos neste post?

Se quiser compartilhar comigo os seus pensamentos, você pode me localizar em algum canal na internet (Site, YouTube, Instagram, Facebook ou Instagram) ou enviar um e-mail diretamente para mim. Terei o maior prazer em trocar uma ideia. E, se quiser envolver outras pessoas na nossa conversa, utilize a #BNCCMatemática nas redes sociais.

Grande abraço e bons estudos!