BNCC | Competências Gerais | Competência geral #10

Neste post vamos falar sobre a décima competência geral da BNCC.

Autonomia e liberdade caminham lado a lado, não é verdade? Mas autonomia e responsabilidade também precisam caminhar juntos. 

Assista ao conteúdo deste post no vídeo a seguir!

Vejamos quais elementos a décima competência geral da BNCC propõe para o enriquecimento dessa conversa.

Agir pessoal e coletivamente com autonomia, responsabilidade, flexibilidade, resiliência e determinação, tomando decisões com base em princípios éticos, democráticos, inclusivos, sustentáveis e solidários.

Essa competência fala, principalmente, sobre responsabilidade.

Quando olhamos o significado da palavra “autonomia” no dicionário, um dos significados apresentados é o seguinte: “Direito de um indivíduo tomar decisões livremente.”

Mas, se vivemos em sociedade e, considerando tudo o que já foi dito nas competências anteriores, um ser que toma decisões livremente precisa pensar na coletividade, respeitando a si e ao próximo. 

Portanto, não posso confundir o direito de tomar decisões livremente com o direito de fazer qualquer coisa que eu sinta vontade. Pois, se o que eu quero fazer vai desrespeitar o próximo, possivelmente estou confundindo autonomia com egoísmo, preconceito, falta de empatia.

A competência também sinaliza que todas as ações devem ser realizadas com flexibilidade, resiliência e determinação. 

Diversas vezes temos um objetivo difícil de ser alcançado e durante o caminho, na busca de alcançar esse objetivo, diversas dificuldades podem surgir, e isso vai requerer de nós uma postura flexível, para corrigir rotas, voltar alguns passos e colocar no cronograma elementos que, inicialmente, não estavam previstos. 

E quem consegue fazer mudanças na rota sem desanimar diante dos obstáculos tem a oportunidade de desenvolver e aprender mais sobre resiliência.

Um dos significados da palavra “resiliência”, no dicionário, em um sentido mais informal, mas não menos verdadeiro, é o seguinte: “capacidade de se recobrar facilmente ou se adaptar à má sorte ou às mudanças”.

Já falamos neste post que autonomia não é sinônimo de agir conforme a própria vontade. A autonomia diz respeito à capacidade de um indivíduo tomar decisões sem precisar que os outros façam isso por ele. 

O indivíduo autônomo, portanto, não transfere a responsabilidade de suas decisões para os outros. Ele as assume.

Para finalizar, a competência fala que o indivíduo autônomo toma decisões com base em princípios éticos, democráticos, inclusivos, sustentáveis e solidários. 

Todos esses valores se relacionam com atitudes empáticas e são fundamentais para todo e qualquer cidadão. E é direito dos estudantes da Educação Básica desenvolverem esses valores em sua formação escolar. 

Grande abraço e bons estudos!