BNCC | Competências Gerais | Competência geral #07

Neste post vamos falar sobre a sétima competência geral da BNCC.

Assista ao conteúdo deste post no vídeo a seguir!

Eu começo este post fazendo uma pergunta pessoal: Existe coisa insuportável do tentar debater com uma pessoa que não apresenta ideias e argumentos bem fundamentados em fontes confiáveis e fica só repetindo o mesmo discurso religiosamente?

É difícil, não é? Mas será que a Educação pode mudar isso? Vamos ver o que diz o texto da quinta competência geral da BNCC. 

Argumentar com base em fatos, dados e informações confiáveis, para formular, negociar e defender ideias, pontos de vista e decisões comuns que respeitem e promovam os direitos humanos, a consciência socioambiental e o consumo responsável em âmbito local, regional e global, com posicionamento ético em relação ao cuidado de si mesmo, dos outros e do planeta.

As tretas na internet, muitas vezes com assuntos sérios sendo debatidos, batem cada vez mais recordes de discussões intermináveis ocas e vazias. Cada um fica defendendo o seu pensamento, o seu achismo, suas ideias, às vezes absurdas e sem o menor fundamento, e espalhando mentiras.

O desenvolvimento da competência que vimos agora é urgente, pois as pessoas pensam de formas diferentes, o que é normal e muito bem-vindo, pois a diversidade nos permite evoluir como seres humanos. 

E o debate de ideias e pontos de vista deve ser incentivado e precisa acontecer, mas isso não significa sair falando qualquer coisa por aí sem considerar o respeito ao próximo e às ideias que ele defende. 

Ter opinião e se posicionar a favor ou contra algo, não dá a ninguém o direito de desrespeitar, humilhar ou ofender o próximo, só porque ele ou ela pensa diferente. Não é assim que um cidadão vive em sociedade de forma civilizada.

E mais, não existe debate produtivo se as ideias defendidas não estão baseadas em fatos e informações confiáveis. Discutir por discutir é bate-boca, é perda de tempo. 

Essa competência também engloba questões relacionadas ao desenvolvimento de consciência socioambiental e consumo responsável em contexto local, regional e global.

Espera-se que um cidadão sempre se posicione de forma ética e se preocupe não só consigo, mas com os outros e com o planeta.

Mais uma vez podemos observar que a BNCC, um projeto que não é do governo A ou B, mas sim de Estado, reconhece que a escola é um espaço para a formação integral de seres humanos que serão capazes de viver de forma harmoniosa em sociedade.

De nada adianta formar respondedores de provas e exames padronizados, se esses respondedores não são seres humanizados. 

Grande abraço e bons estudos!