aprender a aprender metacognicao

Aprender a aprender | Metacognição

Neste post eu falo sobre a capacidade que todos nós precisamos desenvolver: a de aprender a aprender, que está relacionada à metacognição.

Assista ao conteúdo deste post no vídeo a seguir!

Como você aprende? Como você estuda? Que estratégias utiliza para se organizar diante de tanta coisa que vê na escola ou aqui, na internet, quando você procura uma videoaula?

Você sabia que além de aprender Matemática, Linguagens e Ciências, é possível e preciso aprender a aprender?

Neste post vamos falar sobre METACOGNIÇÃO.

Todos nós somos diferentes e, por isso mesmo, temos formas diferentes de aprender.

Por exemplo, tem gente que se dá super bem bem fazendo anotações enquanto os professores fazem uma exposição do conteúdo. Outros, preferem recorrer a uma videoaula, talvez esse seja o seu caso, se você está aqui no nosso canal.

Tem gente que gosta de elaborar seus próprios resumos, esquemas e mapas mentais, cheios de canetas, setas, adesivos coloridos e por aí vai.

Eu já tive alunos que não tinham sequer um caderno, não faziam anotações, mas certamente tinham outros métodos pessoais, bem peculiares para estudar. E tinham um desempenho excelente nas provas.

Mas isso não significa que, se isso funciona para eles, vai funcionar para você.

Por isso, eu quero te convidar a fazer a seguinte reflexão, que tem a ver com as perguntas iniciais deste post: quando você precisa estudar para uma prova, por exemplo, ou só está querendo colocar a matéria em dia, você é capaz de refletir sobre o ato de estudar e, além disso, é capaz de selecionar o melhor método para isso?

E mais, se você começa fazendo de um jeito, e percebe que a coisa não está rendendo, você consegue, sozinho, rever sua rota, fazer modificações, adaptações e aí torna o trabalho produtivo, aumentando a sua performance na aprendizagem?

Pode ser que você esteja se identificando muito com o que eu estou falando, pois você se reconhece nessas atitudes, e tem consciência disso. Pode ser, também, que você esteja pensando assim: eu faço tudo isso, mas nunca parei para pensar a respeito, pois a coisa flui naturalmente. Mas saiba que, só o fato de você estar tendo esse pensamento, neste momento, indica que você já exercita a METACOGNIÇÃO.

Mas talvez você esteja com outro pensamento: “Caramba, eu nunca parei para pensar nisso! Eu vou no piloto automático e não tenho ideia de qual é a minha maneira de aprender melhor!” Se esse é o seu caso, faça esse exercício, reflita sobre como você aprende melhor, pois isso é aprender a aprender, isso é METACOGNIÇÃO.

Tem um autor que eu admiro muito, e é uma das minhas maiores inspirações para várias coisas na vida, é o Salman Khan. O lema da escola do Khan, a Khan Academy, é “Você pode aprender qualquer coisa”.

Estudos atuais de Neurociências indicam que o nosso cérebro funciona mais ou menos como um músculo: quanto mais exercitado, melhor ele exerce a sua função. Portanto, quer saber de uma coisa? Talvez, se você percebe que tem dificuldades para aprender determinados conteúdos, isso pode estar ocorrendo porque você ainda não descobriu a sua melhor forma para aprender.

Mas é sabido que todos nós podemos assumir o controle sobre nossa própria aprendizagem. E isso, como já dito, está associado à METACOGNIÇÃO, que é “o conhecimento que as pessoas têm sobre seus próprios processos de aprendizagem, e a habilidade de controlar tais processos, organizando, monitorando e até mesmo modificando-os, para alcançar melhores resultados no exercício de aprender”.

Falando um pouco de mim, que também sou estudante, eu gosto muito de estudar sozinho, em um espaço silencioso. Ao ler um livro eu preciso fazer anotações em um caderno, isso me ajuda bastante, pois depois eu recorro a essas anotações. Uma estratégia que tenho utilizado atualmente, e tem dado muito certo, é a criação de mapas mentais ou conceituais.

Em relação à Matemática, que eu estudo, não só ao preparar minhas aulas, mas também na universidade, tenho o costume de fazer resumos e anotar os principais resultados, fórmulas e registro alguns exemplos que me ajudam na hora de resolver exercícios mais complexos. E, claro, faço muitos exercícios, mas quando percebo que existem exercícios muito semelhantes a algum que já fiz e por isso já dominei o processo, não perco tempo e passo para os próximos, pois isso me desafia mais.

Mas foi sempre assim? Claro que não! Durante muito tempo eu não tinha estratégias pessoais para estudar. Depois que reconheci essa necessidade, eu passei a seguir dicas de pessoas experientes e muito bem intencionadas, que detalham quais são as melhores formas de estudar e aprender. Inclusive, muitas dessas pessoas estão aí na internet e outras escrevem livros a respeito.

Foi inútil o que aprendi com elas? De forma alguma, é super válido compartilhar boas práticas e métodos pessoais de estudo, mas hoje eu entendo que posso ter à minha disposição uma infinidade de técnicas para estudar e aprender, mas só o autoconhecimento, ou seja, só exercendo a METACOGNIÇÃO eu serei capaz de assumir o controle sobre a minha aprendizagem, pois assim lanço mão dos recursos e estratégias que são mais eficazes para mim.

Hoje, tendo consciência de que posso aprender qualquer coisa, desde que eu queira, percebo o quanto a METACOGNIÇÃO é essencial e até anterior ao ato de aprender algo, pois é como se ela fosse um aparato, uma seleção de instrumentos, ou mesmo um armamento, que fazem com que eu esteja melhor preparado para encarar o desafio da busca pelo conhecimento.

E você? Como aprende?

Grande abraço, bons estudos e bom aprendizado!